Especialidades

Neuropsicologia

Essa área do conhecimento traz para um psicólogo clínico uma gama de

recursos de alta relevância, devido à complexidade nas relações existentes entre o funcionamento do sistema nervoso central e as funções cognitivas e comportamentais.

Para que serve:

Auxiliar o psicólogo no diagnóstico do tratamento de distúrbios, que produzem prejuízos para os indivíduos em decorrência alguma disfunção cerebral. A neuropsicologia tem expandido a sua atuação, associando-se a outras áreas do conhecimento, contribuindo deste modo, para vários contextos multidisciplinares da saúde.

Equilíbrio Alimentar 

o psicólogo atua nos aspectos nutricionais em todas as fases do

desenvolvimento, utilizando intervenções cognitivo-comportamental / contextuais, com ferramentas destinadas a produzir mudanças no estilo de vida.

.

 

Para que serve:

Elaborar estratégias de reeducação alimentar gradual, associadas a boas práticas corporais, através da compreensão do funcionamento fisiológico e psicológico.O foco é dirigido para regulação emocional, compreensão da relação com a comida e na conscientização da importância nutricional, auxiliando na desconstrução “dos milagres” das dietas restritivas.

.

Minha Abordagem

A terapia cognitivo-comportamental visa oferecer a interação da ciência e da prática clínica com ampla sustentação científica para tratamentos psicológicos e resolução de problemas, com o objetivo de ir além de um diagnóstico.

 

Como funciona:

Na infância e início da adolescência vamos construindo esquemas mentais para lidar com a realidade, na maioria das vezes queremos ver essa realidade como uma fotografia perfeita, colorimos de acordo com as nossas vivências e representações mentais “os esquemas mentais”. Com isso tentamos adaptar a realidade externa para ter coerência com as nossas crenças, com nossa história de vida. Ao longo da vida vamos reforçando algumas crenças e repetindo alguns comportamentos disfuncionais de forma automática e habitual.

 

A mente humana é estruturada como uma arquitetura cognitiva: memórias, processos de raciocínio, esquemas, vivências boas e más. Atividades cognitivas podem ser monitoradas e alteradas, normalmente são enfraquecidas num nível que pode diminuir os prejuízos causados em vários contextos.

Perguntas Frequentes

Por quanto tempo eu preciso fazer terapia?

O processo psicoterápico não costuma ser longo, a partir da alta, o cliente será seu próprio terapeuta. O tempo pode variar de acordo com cada pessoa, normalmente o tempo ideal é de 1 ano, se não houver algum Transtorno de Personalidade de grau moderado ou grave. 

 

Qual a frequência das consultas?

As consultas são de 50 minutos, com frequência semanal.

 

Como saber se vou aderir a terapia?

Trabalho oferecendo um acolhimento inicial em caráter experimental, para o cliente avaliar se pode atender as suas demandas.